The New Colossus / O Novo Colosso

Not like the brazen giant of Greek fame,
With conquering limbs astride from land to land
Here at our sea-washed, sunset gates shall stand
A mighty woman with a torch, whose flame is the imprisoned lightning, and her name Mother of Exiles.
From her beacon-handGlows world-wide welcome
Her mild eyes command.
The air-bridged harbor that twin cities frame.
“Keep, ancient lands, your storied pomp!” cries she
With silent lips.
“Give me your tired, your poor, your huddled masses yearning to breathe free.”
The wretched refuse of your teeming shore, send these, the homeless, tempest-tost to me.
I lift my lamp beside the golden door!

o_novo_colosso01

Não como a fama do gigante de Bronze, da Grécia,
Com suas pernas conquista, espaçadas, todas as terras,
Aqui em nossos portais lavrados pelo pôr-do-sol marinho,
Uma mulher poderosa, com uma tocha, cuja flama é o relâmpago aprisionado, e seu nome, Mãe de Todos os Exilados.
De seu punho farol brilha a acolhida abrangente,
Seus olhos meigos, comandam.
O porto, estendido nas alturas emoldurado pelas cidades gémeas
“Guarde terras ancestrais, com sua pompa histórica!”, grita ela com lábios silenciosos,
“Deem-me os cansados, os pobres, suas massas apinhadas, que anseiam por respirar a liberdade.”
A recusa desventurada de seu porto abundante
envia a mim esses desabrigados, oprimidos e assolados pela tempestade.
Ergo meu tocheiro ao lado do Portão Dourado!

o_novo_colosso02

Emma Lazarus, 1883

Anúncios

Argumente

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s