El día que será / O Dia que será

Ya no importa saberlo. Será el día
del arco iris cómplice del agua
que llore demasiado por los muertos,
y habrá quizás en el ambiente estigmas
de señalada indecisión, palomas
que endulzarán la luz, gaviotas grises
salobres de renuncia y de recuerdo
y golondrinas, golondrinas blancas…
Hasta vendrán las olas más rebeldes
llenas de pez disuelto, a verte quieta
y a dejarte la brisa en vez del viento
sobre la piel, con terquedad amorosa.

Un día como tantos. De la huida
tan sólo quedará aquella palabra
que seguirá secreta, intraducible,
y, cada vez que vuelva el arco iris,
vendrás -roja, amarilla, azul y verde-
a pretender decirla.

el_dia_que_sera_o_dia_que_sera02

Já não importa sabe-lo. Será o dia
do arco-íris cúmplice da água
que muito chore pelos mortos
e haverá talvez no ambiente estigmas
de assinalada indecisão, gaivotas cinzentas
salobras de renúncia e de memória
e andorinhas, andorinhas brancas…
Até virão as ondas mais rebeldes
repletas de peixe dissolvido, para te ver quieta
e deixar-te a brisa em vez do vento
sobre a pele, com obstinação amorosa.

Um dia como tantos. Da fuga
tão só ficará aquela palavra
que continuará secreta, intraduzível,
e, cada vez que regresse o arco-íris,
virás – vermelha, amarela, azul e verde –
pretender dizê-la.

el_dia_que_sera_o_dia_que_sera03

María Beneyto i Cuñat, in “O Dia que será” de “Quase um pouco de nada” (2000)

Anúncios

Argumente

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s