Os farsolas…

Um farsola em Portugal é uma palavra (infelizmente já em desuso) que é usada para quem é fanfarrão e/ou pretende passar por gracioso e não o é!!! A fotografia que apresenta este artigo apresenta os farsolas das ultimas semanas, e porquê? Porque os três à sua maneira tentam justificar um número de desemprego que Portugal não tem e a criação de emprego que não existe e que até não o é!!! Esta postagem serve para desmascarar a autentica farsolice que foi assumida por estes três nas ultimas semanas em relação a estes assuntos!!!

um_mentiroso_compulsivo0

Primeiro começou com a entrevista de Passos Coelho à SIC que já analisei por aqui e que o farsola que se diz Primeiro-ministro disse uma mentira clara e desmontada por um órgão de comunicação social na altura o Jornal de Negócios, e qual foi a mentira: “Nos primeiros anos [da legislatura] tivemos um agravamento do desemprego, um problema com o emprego, mas a partir de 2013 uma melhoria. Entre Janeiro de 2013 e Abril de 2015, vimos a economia criar mais de 175 mil postos de trabalho, temos mais pessoas empregadas hoje do que em 2013.” E segundo o farsolas na mesma entrevista este referiu que o emprego existe “em melhores condições.(…) Por cada empregado com contrato a termo, há três com contrato sem termo. A precariedade diminuiu ao contrário do que muitas vezes se apregoa.

Ora o mesmo jornal desmonta esta versão: “o Negócios escreveu que os dados utilizados pelo primeiro-ministro eram bastante enganadores em relação ao que aconteceu na actual legislatura. Agora, Passos Coelho utiliza números ligeiramente diferentes, mas no mesmo sentido. (…) o INE mostra(…) entre o quarto trimestre de 2012 e o primeiro trimestre de 2015, foram criados 40 mil empregos. Se a comparação começar no primeiro trimestre de 2013, os números são mais simpáticos, mas ainda longe dos valores enunciados pelo líder do Governo: 123 mil. A única forma de chegarmos a esses valores é utilizar dados mensais, ajustados à sazonalidade, comparando Janeiro de 2013 – o pior mês de sempre desde 1998 – com Abril de 2015. Se usarmos valores mensais não ajustados à sazonalidade, a criação de emprego até ultrapassa o que disse Passos na entrevista: 205 mil (…) o mais importante para avaliar a afirmação do primeiro-ministro seja o que aconteceu ao emprego antes do início de 2013, quando o PSD e o CDS-PP já eram Governo. Entre o primeiro trimestre de 2011 e o primeiro trimestre de 2013, 420 mil pessoas deixaram de estar a trabalhar em Portugal. O que significa que os 123 mil empregos criados são menos de um terço dos destruídos no período anterior. Um saldo negativo de 298 mil. Quanto à afirmação de que por cada contrato a prazo há dois sem termo, essa proporção não existe desde a tomada de posse desde Governo. Os contratos sem termo já rondavam os 77%/78% do emprego por conta de outrem. O que se assistiu durante a crise foi, isso sim, a uma destruição muito superior dos postos de trabalho mais precários (contratos a prazo e recibos verdes) devido a uma maior facilidade de despedimento que, ainda assim, não mudou a “relação de forças” entre o tipo de vínculo.

Ou seja e se formos curtos e grossos, mentiu com todos os dentes que tinha na boca!!!

O segundo farsola, Paulo Portas, numa entrevista no dia 21 do mês passado e ao mesmo canal e embora reconhecendo que foram destruídos algumas centenas de milhares de empregos, (vá lá!!!) referiu que foi o responsável por ter “puxado pela criação de 175 mil postos de trabalho entre 2013 e 2015“, ignorando assim os dados do total da legislatura, e referiu que “do ponto vista estatístico a única coisa que é relevante é que o desemprego, que já esteve nos 17,5% está na casa dos 13%“!!!

Então se o farsola que falar de estatísticas falemos lá delas, e falemos do desemprego real em vez do desemprego estatístico, como aliás foi referido por António Costa num encontro realizado em Odivelas que “se nós somarmos os 12,4% dos desempregados oficiais, os 7,5% daqueles que emigraram, os 5,5% daqueles que estão desencorajados e já não conto os 160 mil que estão nos programas ocupacionais nós verdadeiramente temos uma taxa de desemprego real na casa dos 25% e sim é esse termo estatístico que temos que tomar em conta:

os_farsolas01

Como vemos no quadro acima até nos podem mandar todos areia para os olhos que não se pode negar as estatísticas, não aquelas retorcidas como as apresentadas por Paulo Portas, nem as mentirosas que foram apresentadas por Passos Coelho, mas as reais que calculam que o subemprego se situa por volta dos 4%.

E falando deste tipo de subemprego o que é que o fomenta, bem o trabalho precário ilegal, e o que cria o este trabalho é o trabalho precário legal que é fomentado por este governo e por causa desse assunto falemos então do terceiro farsola!!!

Anda por aí o tal farsola, de seu nome Mota Soares, que deveria ser o ministro do emprego deste (des)governo que nos governa todos os dias todo contente a inaugurar “call centers” da Altice e de outras companhias, e qual o problema?

Pois é todos estes centros criam empregos precários e são coordenados/criados por empresas de trabalho temporário e não criam reais empregos, por isso os tais 42 trabalhadores que agora aparentemente cria e os 180 futuros que poderão criar, são empregos precários de cidadãos mal pagos e em condições de trabalho que considero sub-humanas!!!

Eis o emprego que todo contente este farsola apoia, um emprego de trabalhadores que estarão nesse posto no máximo três contratos, pois ao final destes virão para a rua e no qual estarão a receber o salário mínimo e a fazer trabalho altamente qualificado!!! Resta dizer que Portugal é a Índia na Europa pois é o local onde se inauguram atualmente mais destes “call centers” que prestam serviços a nível internacional para uma Europa em que os salários mínimos são entre o triplo (Espanha) e o sêxtuplo (Alemanha) do nosso país, ou seja, não hão-de ficar estas empresas agradecidas a este governo, têm trabalhadores a preço de bananas!!!

os_farsolas02

Entre a mentira, o retorcer dos números e as meias verdades e o apoio a empregos de miséria aproveitando-se de cidadãos que irão ser explorados e mal pagos eis o futuro que este bando de farsolas nos reservam!!!

Anúncios

One thought on “Os farsolas…

  1. pois, estes meninos não frequentaram as escolas quando as professoras davam reguadas nas mãos dos meninos MENTIROSOS! por isso se apressaram a abolir aquela forma de punição aos aldrabões e os resultados estão á vista.

    Gostar

Argumente

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s